terça-feira, 28 de outubro de 2008

Romeiros de asas

Uma oportunidade de encontrar gente das mais variadas tribos. Pessoas conscientemente envolvidas, num passeio agradecido, inconscientemente engajadas num projeto de futuro.
O reencontro com velhos amigos, sela o clima de confraternização.







A ciclo-romaria que acontece no mês de outubro em Belém é uma das maiores concentrações de bicicletas que eu já presenciei. Ali estavam reunidos, o veículo da família, a paixão pelo esporte, o momento de laser, o transporte diário, o ganha pão, o inseparável brinquedo.

A saída da Basílica é um pouco tarde, ás 8 horas o sol já maltrata, mas o entusiasmo é refrescante.
Seguimos pela cidade celebrando o direito de pedalar. Invadindo as ruas que param pra ver e aplaudir. Estas mesmas ruas hostis, que diariamente, inevitavelmente, são desafiadas.

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Alvorada central

Um dos passeios mais frequentes que fazemos é o matinal. Quase que diariamente, saímos bem cedinho, antes das 6, com o pretexto de ir comprar o pão e aproveitar os momento de calmaria nas ruas do centro de Belém.

O Colégio Gentil Bitencourt é um dos vários prédios históricos da Avenida Nazaré que tem suas belezas escondidas na agitação da cidade. Mão no freio e pé no chão, momento ideal de contemplação.

Na Almirante Braz, pisamos forte no pedal dentro do túnel das mangueiras, as luzes da cidade se apagam dando vez os primeiros raios de sol. No mais verde dos shoppings, ninguém vende e ninguém compra.


Os carros ainda dormem sob as mangueiras da Serzedêlo Correa, uma das mais agitadas ruas do centro, via que liga a República com a Batista, nesta hora serve de espaço para ciclistas, corredores e caminhantes.


Nas calçadas da Batista Campos, grande encontros de malhadores, bate-papo com água-de-coco. As 6:30h, já dá pra sentir o cheirinho do pão quentinho. Uma ultima volta na Praça, antes de voltar pra casa.



video

No antigo largo de Nazaré, enquanto o sol nasce, os periquitos fazem suas reverencias em revoadas barulhenta, grandes grupos dos pequenos verdinhos, tomam várias direções e se espalham pelas arvores da cidade. (ver o vídeo)

terça-feira, 7 de outubro de 2008

O perito


Só depois de passar mais de um ano rodando Belém, de oficina em oficina, tentando achar um serviço de mecânica, que tivesse qualidade, assim meio que sem querer, encontrei um grande especialista em manutenção e montagem de bicicletas, das mais sofisticadas até as mais simples.



Manutenção é um item que tem prioridade alta, um ciclista deve conhecer muito bem a sua bike para não ocorrem “discórdias” entre veículo e condutor, se sentir seguro e pedalar com confiança. Mas pra isso, é necessário encontrar um mecânico profissional. Um especialista que cuide bem de sua magrela, que tenha conhecimento técnico sobre cada componente, com um serviço de alta qualidade, que oriente e que seja honesto.

Paulo Castro é o nome do cara, fica na 9 de janeiro entre José Malcher e João Balbi, 837 – Loja 2, não tem empregados na sua oficina, ele é o responsável por tudo. Cheguei assim meio desconfiado, achando que se tratava de mais um mecânico comum, mas logo percebi pela conversa que se tratava de um profissional diferente.
Hoje nossas bikes são 100% melhores graças os serviços deste expert. Ele monta e regula uma bicicleta como se afinasse um instrumento musical.
Vai lá e confirma!